Buscar
Aprimoramento da Polícia Comunitária é tema de workshop

A Secretaria da Segurança Pública realizou, entre os dias 26 e 27 de outubro o workshop internacional sobre Gestão, Transparência, Controle Social e Integridade do Uso da Força: Experiências Comparadas para uma Polícia Comunitária em Evolução. O evento ocorreu no Auditório do Memorial do Ministério Público do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre e abordou temas como gestão administrativa e operacional e projetos Polícia Comunitária.

A qualificação teve como objetivo a identificação das melhores práticas de gestão, transparência, controle social e integridade da atividade policial, no âmbito dos territórios priorizados pelo Programa Oportunidades e Direitos do Estado (POD/RS). A realização do evento foi possível através de uma integração do Escritório Regional das Nações Unidas Sobre Drogas e Crimes (UNODC) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em parceria com a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Sul.

O coronel Eduardo Biacchi Rodrigues, diretor do Departamento de Integração, Planejamento e Política de Segurança Pública, enfatizou a importância do workshop para promover a troca de informações conhecendo a realidade de diversos países. “Nós buscamos enfatizar a cooperação e a busca de soluções conjuntas para trazer diferentes níveis de expertises, visando a qualificação dos nossos servidores”.

O curso visou aperfeiçoar a gestão da Polícia Comunitária, fortalecendo assim a integração com a comunidade. Dividido em painéis temáticos, o evento trabalhou a elaboração de políticas integradas de segurança pública com foco em tendências e inovações da investigação criminal e de projetos de polícia, entre outros.

Foram qualificados servidores da Brigada Militar, Polícia Civil, Instituto-Geral de Perícias, Superintendência dos Serviços Penitenciários e Guardas Municipais. Entre os 150 profissionais atendidos pelo workshop, também estavam alunos do Curso de Especialização e Políticas em Gestão de Segurança Pública, além de gestores responsáveis pela implantação do programa de oportunidades e direitos no estado do Rio Grande do Sul.

Boas práticas e perspectivas de futuro

A mesa temática sobre a Visão Científica da Gestão Administrativa, Operacional e de Projetos de Polícia teve moderação do consultor do UNODC e do POD/BID, Eduardo Pazinato. Participaram como palestrantes o gerente de projetos da Brigada Militar, coronel Fernando Linch, o chefe da Assessoria de Desenvolvimento Organizacional da Polícia Militar de Minas Gerais, coronel Sérgio Henrique Soares Fernandes, e o professor da Universidade Autônoma de Lisboa, Manuel Monteiro Guedes Valente.

Linch falou sobre as reuniões estratégicas realizadas semanalmente com os principais gestores da instituição para a troca de informações e alinhamento das ações, além dos ajustes e melhorias necessárias. “Debatemos boas práticas, tomadas de decisões e identificação de cenários. É um processo que está bem fundamentado na BM e tem dado resultados muito importantes”, avaliou.

Outro ponto abordado foram os projetos de prevenção, feitos principalmente através do policiamento comunitário, Patrulha Maria da Penha e Programa Educacional de Resistência às Drogas. “As instituições da Segurança Pública precisam compreender que, tão importante quanto a repressão, são as iniciativas de interação com a população. Esse é um trabalho extremamente positivo e muito forte desenvolvido pela Brigada Militar”, afirmou.

O coronel Sérgio Henrique Soares Fernandes falou sobre a estrutura da polícia no estado e como as instituições podem planejar suas ações de acordo com o cenário que enfrentam. “É preciso desenvolver a capacidade de enxergar longe e entender o futuro para que isso possa subsidiar o planejamento das ações e impactar de forma positiva a organização”, explicou. Ele também destacou que para desenvolver um trabalho de qualidade, é preciso exercer o respeito aos direitos humanos e incentivar, cada vez mais, o policiamento comunitário.

Tecnologias e técnicas de investigação criminal

A mesa temática tendências e inovações da investigação criminal no estado democrático de direito foi ministrada pela chefe de gabinete da SSP, delegada Luciane Bertoletti. Palestraram o doutor em Ciência Política e associado do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Guaraci Minguardi, e o delegado do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos da Polícia Civil, Márcio de Abreu Moreno. 

Minguardi destacou a importância de saber aplicar técnicas de investigações corretas para cada tipo de crime, como a entrevista de testemunhas, fotografar a cena do crime e o preenchimento de relatórios e esboço do local de crime de forma clara. “É preciso estabelecer uma linha de investigação e uma ordem cronológica dos acontecimentos e entender que para cada acontecimento, existem ações específicas que devem ser adotadas para o sucesso da investigação. São fatores básicos, mas muitas vezes esquecidos pelas autoridades”, disse.

O delegado Márcio Moreno encerrou os painéis com uma apresentação sobre novas tecnologias na investigação criminal. Para ele, o combate à criminalidade será vencido pelo investimento em tecnologia. “Não podemos mais pensar somente em efetivo policial e repressão, temos que investir em aparelhagem e inovação em termos de equipamentos”, opinou.

Um exemplo trazido por Moreno foi o Sistema de Investigação de Movimentações Bancárias (SIMBA), que padroniza as informações bancárias. “Até 2010, o envio de documentos bancários, após o pedido de quebra de sigilo, chegava em dez ou 20 caixas com milhares de laudas. Além disso, existiam códigos bancários que demoravam dias para serem explicados. Era quase impossível fazer uma investigação qualificada e eficiente”, acrescentou.


Comunicação Social/EMBM

Texto: Carine Bordin e Lurdenir Matos/SSP

Fotos: Sd Rodrigo Ziebell/SSP

Publicação: Sd Daniela Alvienes/PM5


Visitantes:
Visitantes: 
Desenvolvido por Departamento de Informática da Brigada Militar© Copyright 2016, Todos os Direitos Reservados