Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Patrono da APM

Cel HÉLIO MORO MARIANTE
Cel HÉLIO MORO MARIANTE

Através do Dec. nº 44.329, 06 de março de 2006, o Cel HÉLIO MORO MARIANTE, foi declarado “Patrono da Academia de Policia Militar” por ocasião do aniversario de 90 anos de sua fundação.

Filho de Teotônio Mariante Filho e de Cristina Moro Mariante nasceu em Caxias do Sul, dia 21 de dezembro de 1915, onde morou até os 14 anos de idade, cursando o primário no Colégio Estadual Elementar e, posteriormente, no Colégio Nossa Senhora do Carmo.

Mudou-se para Porto Alegre em 1929, onde frequentou o Curso de Técnicos Rurais na Escola de Agronomia.

Ingressou na Brigada Militar em 1933 com 17 anos, e já no primeiro ano de praça, frequentou o curso de Cabo no 1º Batalhão de Infantaria, localizado na Chácara das Bananeiras, atual sede da APM. No ano seguinte fez o curso de Sargento no CIM (Centro de Instrução Militar), onde hoje fica localizado o Hipódromo do Cristal.

Em 1942, Mariante iniciou o Curso de Oficiais, no mesmo local onde hoje está a Academia de Policia Militar (APM).

Entre as principais funções que exerceu na Brigada, o Cel MARIANTE ocupou a titularidade da grande maioria dos cargos inerentes ao oficialato. Foi professor de historia na APM, Ajudante-de-ordens do Comandante-Geral da Brigada Militar e assistente na Casa Militar, nos governos Peracchi Barcellos e Ildo Meneguetti.  Exerceu, também, os cargos civis de Chefe de Gabinete da Secretaria de Interior e Justiça, no ano de 1951; Assessor para Assuntos Administrativos do governo Peracchi Barcellos e Assessor Especial da Secretaria de Educação e Cultura. Foi também o 1º presidente da Fundação do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore; Secretário Geral da Academia Rio-grandense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul; Presidente do Circulo de Pesquisas Literárias; Vice-presidente do movimento Tradicionalista Gaúcho, do Instituto de História e Tradição do Rio Grande do Sul e da Cruz Vermelha Brasileira. 

O Cel MARIANTE possui 24 obras publicadas, entre as quais destacamos os livros:

“Crônica da Brigada Militar”, escrito em 1972 e que, ainda hoje se constitui no Vade-mécum dos estudantes da Academia de Policia Militar; “Farrapos Guerra à Gaúcha”; “Medicina Campeira e Povoeira”; “O Rio Grande em Aulinhas”; e “Chimangos e Pica-Paus”. Possui-a o curso de Historia pela UFRGS, Curso Técnico de Policia, Ciclo de Estudos da ADESG, em 1968, além de vários outros cursos de extensão universitária.

O Cel HÉLIO MORO MARIANTE completou 90 anos no dia 21 de dezembro de 2005 e faleceu na madrugada de 24. Em 1947 idealizou e fundou a Casa de Cultura que se transformou no Museu da Brigada Militar. Foi membro da Academia Rio-Grandense de Letras por sua produção literária de crônicas, poemas e contos. O Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul chamou-o para preencher vaga importante, reconhecendo-lhe o valor das obras históricas sobre a Brigada e sobre a vida e a gente do Rio Grande.

Por sua dedicação ao estudo dos fatos históricos, Academia de Historia Militar do Brasil, por votação unânime de seus membros, consagrou-lhe, em vida, o nome de uma de suas limitadas cadeiras, em homenagem a Brigada Militar.

No gabinete do Comandante da Academia de Polícia Militar, encontra-se uma Urna, com as “cinzas do Coronel Hélio Moro Mariante”, o qual faleceu em 24 de dezembro do ano de 2005, aos 90 anos de idade.

A Academia de Polícia Militar, local que está sempre presente na lembrança e no cotidiano dos Oficiais da Brigada Militar, eterna “Fonte de Lideres”, emprestará seus históricos alicerces para manter sempre em destaque o mais honrado escritor, professor e eterno instrutor, que foi incansável na sua dedicação ao ensino nesta Academia.

Brigada Militar